Júri B&W 20

  • Sukru Mehmet Omur
    Sukru Mehmet Omur

    Sukru Mehmet Omur é um cirurgião otorrinolaringologista que agora trabalha como fotógrafo mobile e artista a tempo inteiro. Escreve, também, sobre fotografia e vinho. Originário da Turquia, vive em Paris. Formou-se na escola de imagem CE3P em Paris e, até hoje, o seu trabalho de mobile foi apresentado em Paris, Indianápolis, Florença e Istambul. Mehmet gere 4 grupos de arte mobile, 4 grupos de fotografia e 2 páginas de fotografia no Facebook; o seu livro dedicado à fotografia de iPhone foi publicado em 2018.

  • José Carlos Amoroso
    José Carlos Amoroso

    José Carlos Amoroso nasceu no Porto em 1951. Entusiasta da fotografia desde a adolescência, membro da Associação Fotográfica do Porto, anos 70. Na época dos "Salões Fotográficos" participou em várias exposições coletivas. Foi premiado diversas vezes. Fotojornalista no início dos anos 70 no jornal A Opinião. Foi fotojornalista no jornal "O Diário", 1976. Teve diversos trabalhos publicados no Fotojornal e na revista Nova Imagem. Selecionado para integrar a exposição coletiva "Fotografia Portuguesa - 1970/80 em 1984 (Secretaria de Estado da Cultura).

  • Frédéric Deschênes
    Frédéric Deschênes

    Frédéric Deschênes é um fotógrafo e repórter-operador de câmara-editor franco canadiano com 20 anos de experiência. Trabalha para a CBC / Société Radio-Canada, a Televisão Nacional Canadiana. Participou em várias exposições internacionais no Canadá, França, Itália, Espanha, Hungria, Irlanda, Inglaterra e EUA. Ganhou vários prémios, incluindo o Prémio IMPOSSIBLE HUMANS do The New Era Museum para a exposição MAJE - Mobile Art-Jazz Experience em Itália, 2018. A sua versatilidade e paixão pela fotografia e especialmente pela fotografia mobile, levam-no a continuar a descobrir novos horizontes.

  • Claudia Contreras
    Claudia Contreras

    Fotógrafa, poeta, blogger e podcaster. Nasceu na Cidade do México, Contreras é autodidata no campo da fotografia. Participou em exposições coletivas em Monterrey, Tijuana, Milão, Itália, Paris, Porto, Portugal e também individualmente na estação de metro Pantitlán na Cidade do México, na Biblioteca Digital do Governo do Estado do México e no Centro Cultural Aliac. Faz parte do New Era Museum, um grupo composto por fotógrafos e artistas de todo o mundo. É curadora do grupo NEM Black & White. A sua fotografia é um discurso de luz, sustentado no contraste e na sombra. As suas obras são sempre críticas do mundo, irreverentes em em termos morais e provocativas no fundo.

  • Armineh Hovanesian
    Armineh Hovanesian

    Armineh nasceu em Paris, cresceu em Teerão e Boston, com um pouco mais de 2 anos de permanência em Lisboa. É uma fotógrafa agora radicada em Los Angeles, capturando momentos desde 2009. É uma das primeiras impulsionadoras do movimento de iphoneografia. A sua escolha são as suas câmeras iPhone 7 Plus e Sony ILCE-6000. Por enquanto, a fotografia é um hobby. O seu trabalho tem sido reconhecido: um dos seus trabalhos foi considerado o melhor na exposição com curadoria - Forced Captivity organizada pelo New Era Museum (2017), a melhor fotografia mobile do ano pela Lumiere Photography Awards 2016; é curadora de dois grupos no facebook do New Era Museum (NEM Hipstamatic e NEM Street); premiada na 7ª Edição do concurso Julia Margaret Cameron (2015) concurso direcionado para fotógrafas mulheres (considerada uma das 15 melhores fotógrafas).